ÚLTIMAS NOTÍCIAS > Coronavírus

Prefeita anuncia duas novas restrições para conter pandemia

Ações de controle da expansão do vírus atingem comércio de bebidas alcoólicas e transporte público

Por Alessandra Senna 30-04-2020 | 15:35:55

A prefeita Paula Mascarenhas anunciou, na manhã desta quinta-feira (30), em entrevista coletiva via internet, a manutenção das regras de retomada gradual e controlada das atividades econômicas do município, estabelecidas no Decreto Municipal 6.267, de 23 de abril, há uma semana. Em acréscimo, informou duas novas medidas restritivas, incluídas nas ações de enfrentamento e controle de casos de infecção pelo Sars-Cov-2 em Pelotas: uma no transporte público e outra em estabelecimentos que comercializam bebida alcoólica.

Novidades: uso obrigatório de máscaras em ônibus e fechamento de locais que vendam bebida alcoólica às 21h – Fotos: Gustavo Vara

Paula explicou que, a partir de agora, todos os locais, inclusive supermercados e restaurantes, que as vendem, têm horário único para fechamento: às 21h.

"A nossa fiscalização precisou fazer uma consulta no cadastro para ver quais estabelecimentos realmente poderiam comercializar bebidas alcoólicas, com o objetivo de fazer cumprir o horário determinado das 19h. Esse segmento do comércio, muitas vezes, causava aglomerações – o que é algo que precisamos evitar", argumentou a prefeita à população e aos jornalistas.

Quanto aos ônibus, a mudança se refere à quantidade de usuários e à obrigatoriedade do uso de máscaras. Cada coletivo poderá transportar o número máximo de pessoas a partir da quantidade de bancos existentes em cada um deles. "Isso não quer dizer que todos precisem estar sentados, o que deve ser respeitado é o número de passageiros. E todos, sem exceção, só vão entrar no ônibus, se estiverem de máscara", enfatizou a gestora-chefe municipal. As novas providências receberam aprovação no Comitê de Crise, instituído desde que o município decretou situação de emergência devido à pandemia.

Motivos da manutenção

Durante a conversa em tempo real na Web, Paula explicou, entre os motivos pela manutenção das normas determinadas no decreto publicado há uma semana, o cumprimento das regras tanto por parte da população, quanto dos empresários pelotenses. "Apesar de, no primeiro dia de retomada gradual das atividades comerciais termos registrado movimento intenso no Centro da cidade, a nossa fiscalização comprovou a intensificação da exigência do uso das máscaras para acesso aos estabelecimentos e também a adoção das normas de higiene, como o uso do álcool gel", destacou.

Os dados da segunda etapa da pesquisa realizada pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), que quer monitorar o contingente de pessoas infectadas pelo novo coronavírus no Rio Grande do Sul, também auxiliaram na continuidade das normas em vigor em Pelotas. A chefe do Executivo apresentou à população os índices que apontam Pelotas como um dos municípios gaúchos que mais respeitou o isolamento social entre os dias 20 e 26 de abril. Esse período, ao qual a prefeita se referiu, compreende a reabertura gradual do comércio e o estudo da Universidade.

Paula expôs índices que apontam Pelotas como uma das cidades gaúchas que mais respeitou isolamento – Foto: Gustavo Vara

"No primeiro dia, Pelotas foi a segunda cidade do Estado com o maior índice de pessoas cumprindo o isolamento social. Já no segundo dia, uma terça-feira, alcançamos os 62,30% de isolamento, sendo o município que mais respeitou a determinação neste dia. Com o decreto, tivemos uma queda para o terceiro lugar, mas foi muito pouco e já era esperado. Sempre nos mantivemos entre as três cidades, das nove que fazem parte da pesquisa, que mais cumpriram o isolamento", relatou.

A prefeita também revelou os resultados tabulados pela pesquisa Epicovid19, relacionados ao distanciamento social adotado pelos entrevistados – um total de 500 pessoas em Pelotas. Nessa segunda fase, 26% dos consultados admitiram sair de casa todos os dias, o que sugere um aumento desse público nas ruas, se comparado ao resultado da primeira, em que 18,4% disseram ter esse tipo de comportamento. "Aqui, temos as pessoas que voltaram ao trabalho, principalmente no comércio", justificou.

Já os outros índices sofreram pequenas alterações: 54,4% dos cidadãos ouvidos disseram, dessa vez, irem às ruas para realizar atividades essenciais, como fazer compras no supermercado. Na primeira etapa do levantamento, esse número era de 60,2%. Já os que responderam não sair do domicílio representam, agora, 19,6% do total; o primeiro resultado foi de 21,4% de pessoas que disseram respeitar na totalidade a reclusão.

+Prefeita justifica isolamento controlado durante pandemia

Preparação da rede de saúde

Durante a transmissão ao vivo, Paula destacou como o isolamento social e a adoção das regras de proteção e higiene, cumpridos pela população, auxiliaram na elevação da capacidade de atendimento da rede de saúde de Pelotas. 

Segundo ela, há cerca de um mês, o município tinha disponíveis – para atendimento exclusivo de casos Covid 17 – leitos de enfermaria, que, hoje, são 58. Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) aumentaram de cinco (5) para 31 leitos, em um período em que a quantia de infectados foi controlado – atualmente, a cidade possui 21 casos confirmados de pessoas contaminadas pelo vírus.

Apenas quatro leitos estão sendo utilizados: três com pacientes suspeitos de contágio pelo Sars-CoV-2 e um confirmado. A abertura do Centro Covid, lembrou a prefeita, com atendimento prioritário a crianças, em um primeiro momento, deu fôlego à estratégia de ampliação do serviço destinado à contenção da pandemia.

"Nos próximos 30 dias, queremos chegar a 214 leitos de enfermaria, com a abertura do hospital de campanha montado no ginásio do Sesi. Se o Ministério da Saúde cumprir com o prometido e enviar os 20 respiradores anunciados, chegaremos a 98 leitos de UTI", antecipou. 

A prefeita explicou que esses números serão atingidos porque o Município vai comprar 17 leitos e alugar outros 30. Parte desse investimento será feito com recursos próprios.

Gráfico demonstrativo da situação de leitos destinados ao tratamento de casos Covid

Tempo de espera

Sobre três setores que procuraram a Prefeitura solicitando uma possível retomada integral das atividades, Paula Mascarenhas disse que o momento ainda é de precaução. A reabertura das academias foi submetida a uma avaliação da Escola Superior de Educação Física (ESEF) da UFPel e foi descartada por apresentar riscos aos usuários. A prática em locais abertos, com orientação de poucos alunos, está liberada.

Paula revelou entender a situação econômica dos proprietários das escolas infantis, mas não pode fazer diferenciação entre os estudantes da rede pública e os alunos de instituições privadas. Portanto, permanece a suspensão das aulas a todos.

Nos templos religiosos, a orientação segue o prescrito no decreto estadual, que consente a presença de até 30 pessoas em locais maiores. Igrejas com área menor devem ter o número de participantes reduzido.

"Vamos aguardar um novo decreto do governador para termos mais segurança a uma nova tomada de decisão, mas sempre estamos abertos ao diálogo", sinalizou a prefeita.

Testes rápidos

Questionada pela imprensa de forma virtual, acerca da disponibilização de testes rápidos, Paula esclareceu que Pelotas já havia recebido 200 kits que foram repassados à instituição de referência no tratamento de casos Covid – o Hospital Escola da UFPel. A prioridade foi a testagem das equipes de saúde, principalmente médicos. A Prefeitura aguarda a chegada de uma nova remessa de 2 mil exames adquiridos no início do enfrentamento da pandemia, que deverão ter seu uso avaliado junto aos especialistas da saúde, incluindo os da UFPel.

"Vamos definir em que situação esses testes serão utilizados e, a partir daí, vamos ter um protocolo. Não temos como fazer a testagem em massa, até por uma incapacidade do Ministério da Saúde de enviar testes para todos os municípios brasileiros", frisou. O governo pelotense está na expectativa de comprar mais 3 mil testes, nos próximos dias.

Assistência Social

Além da preocupação em estruturar e ampliar a rede hospitalar, o Município também dá assistência às famílias que procuram os Centros de Referência de Assistência Social (Cras). A prefeita informou que há uma necessidade de que técnicos, como psicólogos e assistentes sociais, façam o atendimento dessas pessoas e que o horário de trabalho nesses Centros seja ampliado em razão da demanda. Em locais mais distantes, como a Vila Governaço, ocorrem mutirões da Secretaria de Assistência Social (SAS), por meio do qual moradores são contemplados com cestas básicas e, assim, podem se alimentar.

+ Prefeita destaca ações da Assistência Social no combate à crise

A ideia é não somente ajudar com alimentos, mas também fazer um cadastramento de todos os que procurarem os Cras. Essa ação possibilitará o conhecimento efetivo das necessidades das comunidades em outras áreas, como habitação e saúde. Para auxiliar em serviços administrativos, a Prefeitura selecionou servidores comissionados que estavam em teletrabalho e devem se apresentar, nesta quinta-feira, na SAS.

Preocupações

Sobre o aumento dos investimentos feitos na área de saúde e dos custos de manutenção dessa estrutura, a prefeita não escondeu a preocupação. Segundo ela, a montagem de duas unidades para casos Covid, semelhantes a hospitais tornou necessárias a compra de equipamentos e suprimentos, bem como a contratação de cerca de 200 novos profissionais do setor. 

Paula salientou que foram usados R$ 12 milhões, referentes ao Teto Duplo, dinheiro enviado pelo governo federal para o enfrentamento da pandemia, com o fim de cobrir alguns gastos, inclusive os da folha de pagamento dessas equipes. Também se lançou mão do Fundo do Meio Ambiente, subsídios da Câmara de Vereadores e recursos próprios. A prefeita deixou claro que esse não é o motivo para que a estrutura de combate e prevenção ao novo coronavírus não esteja totalmente pronta.

A conclusão de algumas iniciativas, como o aparelhamento do hospital de campanha, depende também da disponibilidade dos fornecedores. A falta de alguns suprimentos e equipamentos de saúde no mercado, somando-se aos preços muito abusivos praticados, são as principais causas do relativo atraso.

Recomendação

Adicionalmente, a gestora alertou para as filas extensas que se formam nas agências bancárias, nas quais os moradores buscam o auxílio do governo federal. De acordo com a prefeita, existe a fiscalização dos órgãos de segurança, que continuam "em alerta" nestes locais, mesmo com a grande adesão ao uso de máscaras.

Paula concluiu a live agradecendo a colaboração da população e dos empresários por cumprirem as determinações rígidas do Decreto Municipal, relacionadas à prevenção e ao controle da transmissão do Sars-CoV-2, patógeno responsável pelo desenvolvimento da infecção. 

"Não estamos em uma situação tranquila; temos muitas incertezas, mas contamos com cada um de vocês para conter a curva do contágio. Se não precisar sair, não saia. Nesse momento, o melhor lugar é a casa da gente", aconselhou a prefeita.

Confira as fotos da reportagem no Flickr da Prefeitura.

Não caia em fake news.

Leia as notícias oficiais, sobre o novo coronavírus e outros assuntos de interesse público, no hotsite e nas redes sociais da Prefeitura de Pelotas: Facebook, Instagram @prefeituradepelotas, Twitter @PrefPelotas e canal WhatsPel.

Tags

saúde, coronavírus, covid 19, imprensa, hospital, pesquisa, isolamento, duas novas restrições, decreto, coletiva de imprensa

Carregando 0%