ÚLTIMAS NOTÍCIAS > Pacto Pelotas pela Paz

Prefeitura e forças de segurança apresentam indicadores criminais

Trabalho integrado dos efetivos policiais, através do Pacto Pelotas pela Paz, aponta a diminuição de crimes patrimoniais, letais e contra pedestres em 2018

Por Kimberlly Kappenberg 18-09-2018 | 16:58:09

      Um ano após a criação do Pacto Pelotas pela Paz, política de segurança que busca promover uma cultura de paz no município, os indicadores de criminalidade apontam para uma queda gradual. Entre janeiro e agosto de 2018, os dados analisados pelo Observatório de Segurança Pública apresentam a diminuição no acumulado, graças ao trabalho conjunto das forças policiais. As informações foram repassadas aos veículos de comunicação em entrevista coletiva, realizada na tarde desta terça-feira (18), no Salão Nobre do Paço Municipal.

Fotos: Gustavo Vara

      Os crimes violentos letais intencionais – homicídios, latrocínios e feminicídios – caíram 8%, passando de 76 para 71 nos primeiros oito meses do ano. Os dados têm por base informações oficiais do 4º Batalhão de Polícia Militar (4º BPM), Instituto Médico Legal, Serviço de Inteligência Policial e Análise Criminal (Sipac) da 18ª Delegacia de Polícia Regional (DPR) de Pelotas - Polícia Civil. Todavia, a prefeita Paula Mascarenhas salientou que ainda não é momento de comemoração, pois os índices podem e devem melhorar.

“Os números estão em queda, mas o esforço coletivo é permanente e demanda mais responsabilidade de todos. Temos que manter os pés no chão”, disse Paula.

Crimes patrimoniais

A prefeita também ponderou sobre a redução dos atos de maior violência e sua relação com a segurança dos cidadãos. Os registros contra pedestres, por exemplo, tiveram queda de 21%, e o roubo ao transporte coletivo diminuiu 6%. As ocorrências envolvendo patrimônio também reduziram: o total de roubos a estabelecimentos comerciais passou de 259 para 201, uma queda de 22%; roubo a residência caiu 42% e os casos de furto, 25%. 

O furto e o roubo de veículos diminuíram 42% e 7% no acumulado, com menos 104 ocorrências registradas. Em contrapartida, o delegado Márcio Steffens, titular da DPR, destacou que 70% dos automotores foram recuperados pelos efetivos das instituições de segurança, informação que, antes da tabulação pelo Observatório de Segurança, era de difícil acesso.

Atuação conjunta

      O tenente-coronel Márcio Roberto Galdino, do Comando Regional de Polícia Ostensiva Sul (CRPO/Sul), deu ênfase ao trabalho complementar que vem sendo realizado pelas forças de segurança, em que antigas bandeiras foram deixadas um pouco de lado. “Esse é nosso objetivo principal, buscar a paz social. A atuação integrada é muito positiva”, avaliou Galdino.

Fotos: Gustavo Vara

      Nessa perspectiva, registrou-se ainda o aumento da apreensão de armas de fogo e o número de prisões efetuadas, que subiram, respectivamente, 48% e 6,40%; 427 armamentos irregulares saíram das ruas até agosto.

      A prefeita Paula lembrou que o mapeamento das informações só foi possível em decorrência da atuação mais próxima da Guarda Municipal, Brigada Militar, Polícia Civil, Polícia Federal, Susepe, Agentes de Trânsito e demais membros que compõem o Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGI-M). A chefe do Executivo Municipal destacou que por meio das Operações Integradas e do trabalho mais próximo dos setores de inteligência, os efetivos otimizando seus esforços nas áreas onde há necessidade. 

“Não podemos esquecer que, além da repressão, temos a prevenção, com projetos voltados a bebês, crianças, jovens, escolas e apenados. É a preparação para um futuro diferente, com menos violência”, finalizou a prefeita.

Tags

pacto pelotas pela paz, ggi-m, segurança, repressão, forças policiais, indicadores criminais

Carregando 0%