ÚLTIMAS NOTÍCIAS > Coronavírus

Município decide não recorrer da mudança para a bandeira vermelha

Pelotas adotará os protocolos do modelo de Distanciamento Controlado. Prefeita anuncia, nesta segunda-feira (6), medidas já implementadas antes da flexibilização do dia 23 de abril

Por Adriana Rabassa 05-07-2020 | 17:17:52

Após discutir a mudança da região de Pelotas para a bandeira vermelha - no modelo do Distanciamento Controlado do governo do Estado - com os prefeitos da Zona Sul e empresários locais, e de avaliar a situação junto ao Comitê de Crise, a prefeita Paula Mascarenhas decidiu, neste domingo (5), não recorrer da alteração. A decisão foi anunciada em vídeo publicado nas redes sociais, e as definições da bandeira vermelha passam a valer a partir de terça-feira, 7 de julho. Na segunda-feira (6), a Prefeitura anunciará novas medidas que deverão ser adotadas a partir de terça, e que já foram implementadas pelo Município antes da flexibilização do dia 23 de abril.

Conforme o decreto municipal nº 6.276, a cidade passou a adotar, automaticamente, os protocolos do Sistema de Distanciamento Controlado, correspondentes à coloração da respectiva bandeira, sem a necessidade de publicação de um novo decreto para reger a situação.O mesmo documento também esclarece que o Município pode definir medidas mais rígidas, se entender que se fazem necessárias. 

“A questão é que, numa cidade como Pelotas, cujas características principais são o comércio e os serviços, são essas as atividades que movimentam as pessoas e que as fazem sair de casa. No entanto, nem todo mundo está tendo a consciência de que só deve sair para questões essenciais”, disse a prefeita durante vídeo publicado neste domingo.

Na manifestação, a prefeita esclareceu que entende o quanto é penoso parar atividades econômicas - tão importantes para o desenvolvimento da cidade e para a manutenção de empregos -, mas considerou o contexto de extrema dificuldade no qual o Rio Grande do Sul está inserido, além da situação delicada em que se encontra a região sul. Paula defende que este é o momento para decisões mais rígidas e não quando estiver sem alternativa. 

Veja mais

+ Prefeitos da Azonasul discutem bandeira para a região de Pelotas

No sábado (4), a prefeita participou de uma série de reuniões para definir se recorreria ou não. Pela manhã, conversou com prefeitos da Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul) e ouviu sobre os desafios enfrentados em cada uma das cidades da região. À tarde, reuniu-se com o Comitê de Crise e dialogou com empresários locais.

“Precisamos tomar decisões mais fortes agora, e não quando o desespero tomar conta. É preciso que as medidas sejam adotadas um pouco antes, para que tenhamos condições de recuperar espaço e fortalecer novamente a nossa rede de saúde”, afirmou a gestora.

Os maiores problemas apontados pelas gestões municipais da região, e considerados na decisão, foram a falta de profissionais da área da saúde para integrar as equipes de trabalho das unidades, a lotação dos leitos destinados ao tratamento da Covid-19, além dos estoques limitados de medicações sedativas utilizadas no processo de intubação dos pacientes. 

A mudança preliminar de bandeiras foi divulgada na sexta-feira (3), e colocou a região com risco alto para o novo coronavírus. De acordo com o governo gaúcho, entre os indicadores de velocidade do avanço do vírus na macrorregião R21 - da qual Pelotas é a maior cidade -, o indicador de" hospitalizações confirmadas para Covid-19", nas duas últimas semanas, e o "de pacientes em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI)", no último dia, obtiveram bandeira preta nesta semana. Essa foi a primeira vez que a região recebeu bandeira vermelha desde a implantação do Distanciamento, em 11 de maio. 

Dados 

A atualização ainda aponta que houve um aumento de 144%, entre as duas semanas, nas internações confirmadas para a doença nos últimos sete dias, passando de nove na semana anterior para 22 na atual. Além disso, na Zona Sul, cresceu o número de internados por Síndromes Respiratórias Agudas Grave (SRAG) em UTI (de 13 para 17), o número de internados em leitos clínicos Covid (de oito para 12) e de internados em leitos de UTI Covid (de 9 para 15).

O aumento de hospitalizações provocou o agravamento dos indicadores de estágio da evolução na região e de incidência de novos casos da doença, prejudicando a capacidade de atendimento na área. 

Na sexta-feira, a prefeita Paula Mascarenhas já havia feito pronunciamento nas redes sociais, logo após a divulgação, quando afirmou que as próximas horas seriam de análise dos dados e dos critérios estabelecidos pelo Estado. Em transmissão de vídeo, ao vivo, realizada na última quinta-feira (2), a chefe do Executivo também comentou sobre a expectativa da alteração na bandeira no município.

“Na última live que fiz, durante esta semana, já anunciei uma possibilidade de mudarmos para bandeira vermelha. É importante as pessoas entenderem que isso é uma avaliação regional, não é uma avaliação exclusiva de Pelotas”, disse a prefeita, iniciando a explicação online à população.

Conforme o boletim epidemiológico da última sexta-feira, Pelotas tinha 293 pessoas infectadas pelo coronavírus e 16 estavam hospitalizadas. No último boletim divulgado no sábado (4), a cidade já contabilizava 17 pacientes internados e 310 casos confirmados da doença. O município tem cinco registros de óbitos.

Leia as notícias oficiais, sobre o novo coronavírus e outros assuntos de interesse público, no hotsite e nas redes sociais da Prefeitura de Pelotas: Facebook, Instagram @prefeituradepelotas, Twitter @PrefPelotas e canal WhatsPel.

Tags

bandeira vermelha, distanciamento controlado, flexibilização, coronavírus, covid

Carregando 0%