ÚLTIMAS NOTÍCIAS > Coronavírus

Crianças têm baixo registro de vacinação contra a gripe em Pelotas

Campanha contra o vírus Influenza já vacinou 94.209 pessoas no município

Por Alessandra Senna 10-06-2020 | 08:59:11

A pouco mais de duas semanas para o encerramento da Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe, o baixo índice de crianças imunizadas contra a doença, em Pelotas tem preocupado a Secretaria Municipal de Saúde (SMS). A desinformação sobre os benefícios causados pela vacina está entre as causas apontadas pelos especialistas da rede de Atenção Primária do Município pela pouca procura pela proteção.

Foto: Arquivo Ascom

Segundo acompanhamento feito pela Vigilância Epidemiológica, de um total de 21.141 crianças, nesta faixa etária, integrantes do grupo considerado prioritário para a vacinação no município, 5.150 foram vacinados até a primeira semana de junho. Esse número representa 24, 3% do total que já deveria ter recebido a dose.

Veja mais

+ Vacinação contra gripe atinge quase 70% da meta em Pelotas

Para o pediatra, clínico geral da UBS Barro Duro, Marcos Pereira do Rozário, há uma parcela da população que não vacina as crianças por desconhecer como a imunização previne a doença. 

"Desde os tempos antigos o homem sabe que muitas doenças, uma vez adquiridas, conferem proteção permanente ao individuo. Partindo deste princípio foram feitas as vacinas, ou seja substâncias que administradas ao indivíduo fazem com que o corpo "crie" defesas contra um invasor", explica o médico que concorda com a redução, cada ano mais frequente no número de crianças vacinadas, inclusive contra a gripe.

O médico ainda alerta sobre outro motivo capaz de afastar a população da vacina: os possíveis efeitos colaterais. Segundo ele, como a vacina da gripe é feita a partir do ovo da galinha, quem tem alergia a proteína precisa ter cuidado, assim como quem tem problemas com alguma outra substância que faz parte da composição da vacina.

"Claro que algumas vacinas podem ter algum efeito colateral mas sempre os benefícios sobrepujam os raríssimos efeitos colaterais, portanto acredite na vacina", destaca o pediatra.

Horário para vacinar

Os cuidados para evitar o contágio pelo novo coronavírus, também estão entre os fatores que têm dificultado a imunização das crianças, já que muitas famílias evitam a exposição dos pequenos. A diretora da rede de Atenção Primária, responsável pelas Unidades Básicas de Saúde, Cristina Vetromilla, lembra que a imunização ocorre de forma segura, sempre no período da tarde. 

Foto: Michel Corvello

"Os turnos foram divididos justamente para preservar os pacientes de contato com os portadores de síndromes respiratórias. E com a chegada do inverno temos mais acometimento de infecção por influenza. Se as pessoas se vacinarem, diminuímos a procura por atendimento na rede de Saúde", ressalta a diretora.

Novos números

Do total de 96.352 pessoas, integrantes do grupo prioritário apontado pelo Ministério da Saúde, que devem receber a vacina em Pelotas, 72.721 já foram imunizadas, cerca de 74, 4%. 

Os idosos superaram a meta do governo federal, com 96,7% de vacinados - um total de 48.302 pessoas acima dos 60 anos. Até a primeira semana de junho, 14.791 profissionais da saúde, cerca de 78%, receberam a vacina. Já 2.453 profissionais da educação, 95,8%, foram imunizados contra a gripe em Pelotas. 

A Vigilância Epidemiológica também contabilizou 4.452 doses aplicadas em outros grupos profissionais, como trabalhadores da área de segurança, caminhoneiros, transporte coletivo, além da população prisional. Um total de 17. 306 pessoas com doenças crônicas, foram vacinadas contra o vírus Influenza no município.  

Não caia em fake news.

Leia as notícias oficiais, sobre o novo coronavírus e outros assuntos de interesse público, no hotsite e nas redes sociais da Prefeitura de Pelotas: Facebook, Instagram @prefeituradepelotas, Twitter @PrefPelotas e canal WhatsPel.

Tags

influenza, gripe, vacinação, vacina, crianças, atenção primária, pediatra, coronavírus, covid-19

Carregando 0%