ÚLTIMAS NOTÍCIAS > Saúde

Prefeitura permanece no combate ao mosquito Aedes durante a pandemia

Equipe da Secretaria Municipal de Saúde é responsável pelas ações, com restrições devido ao coronavírus

Por Kerolin Lulhier 25-02-2021 | 16:16:03

As ações de vigilância do mosquito Aedes Aegypti, agente transmissor do vírus de doenças como a dengue, a zika e a chikungunya, são realizadas pela Prefeitura de forma moderada em razão da pandemia de Covid-19. O trabalho é contínuo, desenvolvido pela equipe de Vigilância em Saúde, da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). O calor e o volume de chuvas são condições que aumentam o risco de proliferação das larvas do inseto, exigindo atenção redobrada do Município e da população em geral. 

Vigilância orienta a população - Fotos: Janine Tomberg e Michel Corvello - Arquivo/Ascom

A chefe da Vigilância Ambiental, Isabel Madrid, e a supervisora do programa, Verônica Goularte afirmaram que o trabalho é muito importante e que a prevenção é essencial. “É necessário que a população nos ajude. Precisamos que estejam atentos a qualquer depósito que possa servir de criadouro para o mosquito”, ressaltaram.

Atenção durante a pandemia

As ações de vigilância e prevenção são realizadas em diversas localidades da cidade, por 23 agentes devidamente treinados e identificados, mesmo durante a pandemia. Seguindo orientações do Ministério da Saúde, as visitas em formato intradomiciliar (no interior das residências) estão suspensas e ocorrem somente na parte externa dos imóveis. 

Durante as visitas, os agentes orientam os moradores e explicam quais medidas devem ser tomadas para impedir a reprodução do Aedes. Além disso, os colaboradores inspecionam espaços propícios para a postura dos ovos do mosquito transmissor da dengue e de outras doenças. Atualmente, as frente de trabalho da Vigilância em Saúde no combate ao pernilongo são:

  • Armadilhas: pneus cortados e com água limpa são instalados em pontos onde há a possibilidade de aparição do Aedes Aegypti vindo de fora do Município. Locais com intensa movimentação de veículos, pessoas e mercadorias são os principais alvos desta frente de trabalho.
  • Pontos Estratégicos (PES): são locais mais favoráveis ao desenvolvimento das larvas, como floricultura e cemitérios. A cada 15 dias, esses pontos são vistoriados.
  • Levantamento de Índice Rápido para o Aedes Aegypti (Liraa): esse levantamento, conhecido como Liraa, tem o intuito de medir o índice de infestação predial pelo Aedes Aegypti. Nesse trabalho, são visitados 20% dos imóveis da cidade, escolhidos a partir de sorteio feito por um programa de computador.
  • Pesquisa Vetorial Especial (PVE): quando um foco de larvas do Aedes é encontrado, ou alguma pessoa estiver com suspeita de doenças transmitidas pelo mosquito, a Pesquisa Vetorial Especial é realizada na área de entorno, em um raio de 300 metros. A partir disso, todas as residências próximas são verificadas e também é investigado se não há mais pessoas apresentando sintomas de uma das doenças transmitidas pelo inseto.  

Monitoramento nos bairros

Segundo informações da Vigilância, foram encontrados oito focos de Aedes nos bairros Guabiroba, Porto, Simões Lopes e Balneário dos Prazeres. Das larvas encontradas, cinco eram de Aedes Aegypti e três do tipo Aedes Albopictus. Até o momento, não há nenhum registro de pessoas infectadas no Município. 

Outro dado importante: desde o início do combate ao mosquito em Pelotas, nunca houve ocorrências de pessoas infectadas diretamente no Município - apenas casos de infecção importada, ou seja, de pessoas que foram picadas em outras cidades e só apresentaram os sintomas da doença ao retornar.  

Veja algumas medidas para ajudar no combate

  • Mantenha os pneus velhos em locais coberto ou fure-os;
  • tampe os poços, os barris e outros depósitos de água;
  • mantenha as caixas d’água bem fechadas;
  • guarde as garrafas vazias com o gargalo para baixo;
  • fure e amasse as latas vazias e recipientes plásticos antes de jogá-los no lixo seco;
  • mantenha as piscinas com água limpa e tratada o ano inteiro;
  • limpe as calhas, evitando acúmulo de água; e,
  • coloque areia nos pratos dos vasos, ou lave-os a cada três dias.

Leia as notícias oficiais, sobre o novo coronavírus e outros assuntos de interesse público, no hotsite e nas redes sociais da Prefeitura de Pelotas: Facebook, Instagram @prefeituradepelotas, Twitter @PrefPelotas e canal WhatsPel.

Tags

zika, pandemia, dengue, aedes, mosquito

Carregando 0%